sábado, 20 de agosto de 2011

Marionete

Quando eu era criança, eu achava que éramos todos marionetes de Deus. Ele fazia o que quisesse com a gente, portanto, se eu "pecasse", a culpa não seria minha, porque Deus que estava no comando.

_ Vovó! Thaís não quer me deixar brincar no balanço!
_ Ô Thaís, larga de ser egoísta e deixa a sua irmã balançar um cadin!!!!
(Thaís olha nos olhos da magrela e diz, ameaçadora)
_ Se eu me meter num castigo, você tá perdida.
(A magrela começa a choramingar e resolve ceder o balanço à Thaís novamente)
_ Thaís, você ouviu????? (disse Vovó)
_ Deixa vó, eu não quero mais balançar não. Vou desenhar na terra. (magrela choramingando)
Enquanto a magrela desenhava e fazia lama com as gotinhas de seu choramingo, viu que o vovô tinha cortado vários pedaços de bambú e deixado alí pelo chão. Ainda triste e com raiva, falando sozinha, disse:
_ Também, vou jogar isso aqui na sua cabeça e você vai estar perdida comigo.
TÚM!!!!!

Silêncio.

Thaís cai do balanço.

Silêncio.

"Aaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhh!!!! Vóóóóóóó!!! Thaine tampou um bambú na minha cabeça, aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!"

Bom, a magrela ficou de castigo por alguns dias, mas não sentiu culpa. Afinal, era marionete de Deus e Ele quis assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário